GUR enfoca a tradição, permitindo a descoberta e expansão de formas artísticas recorrendo a materiais e técnicas tradicionais da história e cultura portuguesas. Trabalhando em parceria com uma artesã tecedeira de tapetes, convido artistas nacionais e internacionais a expressarem-se sobre este suporte com uma técnica muito especifica usando a mesma autenticidade de materiais e técnica de um tapete de cozinha comum de trapos mas agora mais divertido.

Dentro do mercado actual nacional de tapetes feitos em tear, a oferta criativa é limitada aos modelos e padrões base tradicionais, GUR pretende fazer a ponte entre um produto de grande valor tradicional para um produto igualmente tradicional acrescentando o valor artístico de um objecto de autor, e assim expandir o sua procura a um publico mais alargado com sensibilidade artística e cultural.

Elevando o leque de funcionalidade de um tapete de trapo geralmente usado para o chão de cozinha estendendo-o para todas as áreas da casa incluindo as paredes até ao exterior – GUR acrescenta ao objecto um mecanismo de transporte que permite ser levado para actividades ao ar livre; para além das funcionalidade práticas do objecto, GUR também é um objecto de autor com uma edição limitada e pode ser encarado como um obra de arte.

Todos os tapetes GUR são feitos à mão em tear manual, com tirela (trapo) com técnica de alto relevo e camadas de cor, terminados com costura básica.
Dimensões: 70cmx110cm
As edições de cada modelo são limitadas em séries de 50, numeradas.
GUR transporta uma técnica tradicional para um objecto decorativo divertido inserindo os tapetes nas necessidades de um mercado actual contemporâneo, renascendo a vontade de comprar tapetes de trapo.
Gur pode ser o primeiro sitio onde se pões os pés de manhã, um companheiro para um picnic ou um quadro na sala de estar.

Célia Esteves